3% | A SOCIEDADE DISTÓPICA BRASILEIRA


A trama é a seguinte: em um mundo devastado, todos os jovens que completam 20 anos têm o direito de tentarem passar para o lado bom e melhor da sociedade. Para isso, no entanto, devem enfrentar um processo seletivo muito rigoroso, árduo e até mortal, de modo que apenas 3% dos candidatos conseguem a aprovação.

Interessante, não é? Lembra muito Jogos Vorazes, Divergente, Maze Runner e todas as outras distopias futurísticas. Então se você gosta desse tipo de enredo, já pode adicionar 3% na sua lista de “séries-que-vou-assistir-pra-me-viciar-e-ficar-doido-esperando-novos-episódios”. Esse será o primeiro seriado brasileiro original da Netflix.

3% na verdade teve um piloto divulgado em 2011, produzido pela Maria Bonita Filmes e que recebeu muitas visualizações e críticas positivas. Desde então o projeto procurava algum financiamento ou alguém interessado em desenvolvê-lo.

Quatro anos depois, olha só… A Netflix resolveu apostar na ideia! “A disposição da Netflix de investir em conteúdo brasileiro, talento local e enredo criativo é a chave para o nosso crescimento como indústria”, afirma Tiago Mello, produtor executivo da série.

Diferentemente do piloto, os protagonistas serão João Miguel (Xingu, O Canto da Sereia, Felizes Para Sempre, Estômago) e Bianca Comparato (Sessão de Terapia, Como Esquecer, Avenida Brasil, Sete Vidas). A série será produzida pela Boutique Filmes e dirigida por Cesar Charlone, o diretor do longa-metragem O Banheiro do Papa e que foi indicado ao Oscar pelo trabalho como diretor de fotografia em Cidade de Deus. O roteiro fica por conta de Pedro Aguilera, o mesmo do piloto da websérie.

Piloto da série 3% (2011)

Assim como as demais histórias do gênero, 3% promete tratar de assuntos sérios e criticar determinados aspectos de nossa sociedade. Charlone chegou a comentar a profundidade da narrativa: “Em última instância, a série traz à tona questões sobre a dinâmica da sociedade que impõe constantes processos de seleção pelos quais todos nós temos que passar, gostemos ou não”.

De fato, a qualidade do piloto produzido em 2011 tem muita qualidade e não é à toa que foi muito elogiado. O atrativo também fica por conta do tema de ficção científica, um thriller futurista que atrai grande parcela do público jovem hoje em dia e que não é trabalhado em produções aqui no Brasil. É legal então ver uma série brasileira abordando esse tipo de conteúdo. Só achei uma pena que os atores serão alterados para a nova série.

3% será filmada com tecnologia Ultra HD 4K e está prevista para estrear mundialmente no segundo semestre de 2016. Para a alegria dos viciados de plantão, assim como as demais séries do canal de streaming, todos os episódios serão liberados de uma vez só, como a própria protagonista destaca no vídeo de anúncio.

O que espero é que a série contribua ainda mais para o avanço e reconhecimento do Brasil no mercado audiovisual. Como disse o vice-presidente de conteúdo local e independente da Netflix, Erik Barmack, “Estamos confiantes de que essa premissa fascinante será amplamente apreciada pelos nossos assinantes mundo afora”. Já estou ansioso para assistir!

Confira abaixo o piloto de 3% produzido em 2011:

(OBS: Para o pessoal que se lembrou de A Toca (2013), seriado da produtora criada por Felipe Neto, Parafernalha, a Netflix já tinha deixado claro que se tratava de um conteúdo exclusivo licenciado por ela, e não um “Original Netflix”. Fonte: Gizmodo Brasil)

Previous DEADPOOL GANHA O SEU PRIMEIRO TRAILER
Next Star Wars - O Despertar da Força bate recorde de pré-vendas de Jogos Vorazes