The Legend of Zelda: Breath of the Wild é o Jogo do Ano no The Game Awards

 

A noite dessa quinta-feira (7) foi marcada pela grande premiação do mundo dos jogos eletrônicos.

The Game Awards, conhecida como o “Oscar dos videogames”, revelou os melhores títulos de 2017 em várias categorias, incluindo o esperado Jogo do Ano.

Na premiação máxima, Horizon: Zero DawnPersona 5PlayerUnknown’s BattlegroundsSuper Mario Odyssey The Legend of Zelda: Breath of the Wild disputaram o primeiro lugar e o título ficou com Legend of Zelda.

 

Confira logo abaixo a lista completa com os indicados em todas as categorias e os vencedores em negrito.

Jogo do ano

  • Horizon: Zero Dawn
  • Persona 5
  • PlayerUnknown’s Battlegrounds
  • Super Mario Odyssey
  • The Legend of Zelda: Breath of the Wild

Melhor performance

  • Ashly Burch, como Aloy, de Horizon Zero Dawn
  • Brian Bloom, como BJ Blazkowicz, de Wolfestein II: The New Colossus
  • Claudia Black, como Chloe Frazer, de Uncharted: The Lost Legacy
  • Laura Bailey, como Nadine Ross, de Uncharted: The Lost Legacy
  • Melina Juergens, como Senua, de Hellblade: Senua’s Sacrifice

Melhor design de áudio

  • Destiny 2
  • Hellblade: Senua’s Sacrifice
  • Resident Evil 7
  • Super Mario Odyssey
  • Legend of Zelda: Breath of the Wild

Melhor trilha sonora/música

  • Cuphead
  • Destiny 2
  • Nier Automata
  • Persona 5
  • Super Mario Odyssey
  • Legend of Zelda: Breath of the Wild

Melhor jogo contínuo

  • Destiny 2
  • GTA Online
  • Overwatch
  • PUBG
  • Rainbow Six Siege
  • Warframe

Games for Impact (Melhor jogo com impacto social)

  • Bury me, my love
  • Hellblade: Senua’s Sacrifice
  • Life is Strange: Before the Storm
  • Night in the Woods
  • Please Knock on my Door
  • What Remains of Edith Finch

Melhor Direção de Arte

  • Cuphead
  • Destiny 2
  • Horizon: Zero Dawn
  • Persona 5
  • Legend of Zelda: Breath of the Wild

Melhor Multiplayer

  • Call of Duty WWII
  • Destiny 2
  • Fortnite
  • Mario Kart 8 Deluxe
  • PUBG
  • Splatoon 2

Trending Gamer (Personalidade do Ano)

  • Andrea Rene
  • Clint Lexa
  • Guy Beahm
  • Mike Grzesiek
  • Steve Spohn

Mais esperado de 2018

  • God of War
  • Spider-Man
  • Monster Hunter World
  • Red Dead Redemption II
  • Last of Us – Part II

Melhor jogo de aventura

  • Assassin’s Creed Origins
  • Horizon: Zero Dawn
  • Super Mario Odyssey
  • Legend of Zelda: Breath of the Wild
  • Uncharted: The Lost Legacy

Melhor jogo de ação

  • Cuphead
  • Destiny 2
  • Nioh
  • Prey
  • Wolfenstein II: The New Colossus

Melhor time de esport

  • Cloud9
  • Faze Clan
  • Lunatic-Hai
  • SKT1
  • Team Liquid

Melhor pro player

  • Lee Sang-Hyeook “Faker”
  • Marcelo “Coldzera” David
  • Nikola “Niko” Kovac
  • Je-Hong “Ryujehong” Ryu
  • Kuro “Kuroky” Salehi Takhasomi

Melhor jogo de eSport

  • Counter-Strike: Global Offensive
  • Dota 2
  • League of Legends
  • Overwatch
  • Rocket League

Melhor RPG

  • Divinity: Original Sin II
  • Final Fantasy XV
  • Nier Automata
  • Persona 5
  • South Park: The Fractured But Whole

Melhor VR/AR

  • Farpoint
  • Echo Arena
  • Resident Evil 7
  • Star Trek Bridge Crew
  • Superhot VR

Melhor jogo corrida e esporte

  • FIFA 18
  • Forza 7
  • Gran Turismo Sport
  • NBA 2K18
  • PES 2018
  • Project Cars 2

Melhor jogo de estratégia

  • Halo Wars 2
  • Mario + Rabbids: Kingdom Battle
  • Total War: Warhammer II
  • Tooth and Tail
  • XCOM 2: War of the Chosen

Melhor jogo para família

  • Mario Kart 8 Deluxe
  • Mario + Rabbids: Kingdom Battle
  • Sonic Mania
  • Splatoon 2
  • Super Mario Odyssey

Melhor jogo de luta

  • ARMS
  • Injustice 2
  • Marvel vs Capcom: Infinite
  • Nidhogg II
  • Tekken 7

Melhor jogo para portátil

  • Ever Oasis
  • Firem Emblem Echoes: Shadows of Valentia
  • Metroid: Samus Returns
  • Monster Hunter Stories
  • Poocy & Yoshi’s Woolly World

Melhor jogo mobile

  • Fire Emblem Heroes
  • Hidden Folks
  • Monument Valley II
  • Old Man’s Journey
  • Super Mario Run

Melhor jogo indie

  • Cuphead
  • Hellblade: Senua’s Sacrifice
  • Night in the Woods
  • Pyre
  • What Remains of Edith Finch

Melhor narrativa

  • Hellblade: Senua’s Sacrifice
  • Horizon: Zero Dawn
  • Nier Automata
  • What Remains of Edith Finch
  • Wolfenstein II: The New Colossus

Melhor direção de jogo

  • Horizon: Zero Dawn
  • Resident Evil 7
  • Super Mario Odyssey
  • Legend of Zelda: Breath of the Wild
  • Wolfenstein II: The New Colossus

Coringa | Warner quer Leonardo DiCaprio no filme solo

De acordo com o Hollywood Reporter,Warner tem interesse em Leonardo DiCaprio para o filme solo do Coringa, que contará a origem do vilão da DC. O ator faria o papel principal.

A ideia do estúdio seria usar a influência de Martin Scorsese, produtor do longa, que já trabalhou várias vezes com DiCaprio. Com isso, o estúdio colocaria a produção entre os filmes passíveis de indicações à prêmios. Apesar disso, nenhum dos dois fechou acordo para a produção ainda.

O site diz ainda que Jared Leto, que deve reprisar o papel do vilão em Esquadrão Suicida 2 e no filme com a Arlequina, não ficou satisfeito com a ideia de vários Coringas diferentes nos cinemas e reclamou com seus agentes. O Hollywood Reporter reitera uma informação anterior, de que Warner e DC planejam filmes separados de um universo compartilhado.

O site ainda reforça que Ben Affleck não será o Homem-Morcego do filme de Matt Reeves, The Batman –

A intenção é que o filme derivado seja mais “pé no chão”, situado no início dos anos 80 e parecido com longas como Táxi Driver e Touro Indomável, ambos de Scorsese. Todd Phillips, conhecido por Se Beber, Não Case, vai escrever o roteiro ao lado de Scott Silver e dirigir a produção. Não há detalhes sobre como o filme se encaixa no calendário atual da DC.

LEIA MAIS SOBRE CINEMA.

Super Nintendo Classic Edition será lançado no Brasil

 

O SNES Classic Edition, versão em miniatura do Super Nintendo, será lançado no Brasil. Quem trará o console ao país é a JVLAT (Juegos de Vídeo Latinoamerica), distribuidora que atua com o selo Gaming do Brasil e cuida dos produtos da Big N na América Latina.
A notícia surgiu por meio de um anúncio realizado pela empresa na edição de número 13 da versão brasileira da revista Game Informer, que é editada pela Editora Europa. O anúncio indica uma pré-venda no site oficial da JVLAT, mas não fala nada sobre preços ou data de lançamento. Veja o print:

Nos Estados Unidos, o SNES Classic Edition será lançado custando US$ 80 (cerca de R$ 250), no dia 29 de setembro.

Destiny 2 ganha trailer live-action feito pelo diretor de Kong: A Ilha da Caveira

A Activision lançou um novo trailer de Destiny 2 nesta quinta-feira (31) para te lembrar que falta menos de uma semana para o jogo desenvolvido pela Bungie ser lançado. Ele foi feito com atores e é dirigido por Jordan Vogt-Roberts.

Vogt-Roberts é fã assumido de videogames, citando jogos como Shadow of The Colossus como inspiração para seu filme Kong: A Ilha da Caveira. O diretor, que ama Metal Gear Solid, vai adaptar a franquia de Hideo Kojima para os cinemas.

Recentemente, os detalhes iniciais do suposto primeiro DLC de Destiny 2 foram reportados, e ao que tudo indica, a Bungie vai finalmente colocar o mago espacial Osiris no jogo.

Destiny 2 será lançado no dia 6 de setembro no PS4 e Xbox One, e em 24 de outubro no PC.

 

LEIA MAIS SOBRE GAMES.

2K revela os 10 jogadores mais bem avaliados de NBA 2K18

2K revela os 10 jogadores mais bem avaliados de NBA 2K18;

 

A 2K Games anunciou quais são os 10 jogadores mais bem avaliados de NBA 2K18, edição deste ano do seu jogo de basquete aclamado. Mais uma vez, o tricampeão da liga e ala do Cleveland Cavaliers, LeBron James, recebeu a maior nota.

James lidera com nota 97. Já em segundo lugar está o atual MVP das finais, Kevin Durant, do Golden State Warriors, com 96. Empatados na terceira colocação estão Kawhi Leonard, do San Antonio Spurs, e James Harden, do Housotn Rockets, ambos com nota 95.

A lista não tem muitas surpresas. As principais estrelas da liga estão presente, mas talvez o maior “choque” foi a ausência do atleta de capa do jogo, Kyrie Irving, e a inclusão do grego Giannis Antetokounmpo, que teve sua melhor temporada no ano passado e está caminhando para se tornar um dos astros da NBA.

 

 

Veja o ranking completo:

  • LeBron James (97)
  • Kevin Durant (96)
  • Kawhi Leonard (95)
  • James Harden (95)
  • Stephen Curry (94)
  • Russell Westbrook (94)
  • Anthony Davis (94)
  • DeMarcus Cousins (92)
  • Paul George (91)
  • Giannis Antetokounmpo (91)

Ontem, a 2K anunciou que o novo NBA terá um espaço social multiplayer. O jogo será lançado no no PS4, PS3, Xbox One, Xbox 360, PC e Nintendo Switch no dia 19 de setembro.  Veja o Trailer abaixo:

 

 

LEIA MAIS SOBRE GAMES.

Battlegrounds ultrapassa League of Legends em visualizações na Twitch em agosto

Battlegrounds ultrapassa League of Legends em visualizações na Twitch em agosto;

Após quase três anos liderando a plataforma de transmissões da Twitch, o League of Legends foi superado pelo novo e popular PlayerUnknown’s Battlegrounds, que no mês de seu primeiro torneio oficial — o PUBG Invitational na Gamescom 2017 em agosto — ultrapassou o MOBA em visualizações.

GAMOLOCO — usuário do Twitter que monitora dados da Twitch — confirmou nessa sexta-feira o que muitos já estavam especulando: depois de pelo menos 34 meses de liderança em popularidade e visualizações na plataforma de transmissões ao vivo, League of Legends foi superado, mostrando ainda mais a força do novo jogo entre os usuários.

 

Essa não foi a única conquista do game: nas últimas semanas dados revelaram que Battlegrounds também superou o Dota 2 em número de jogadores simultâneos na Steam e que está atraindo e muito o público de outros jogos populares, como Counter-Strike: Global Offensive.

LEIA MAIS SOBRE GAMES.

SEGA anuncia data de lançamento de Sonic Forces no ocidente

SEGA anuncia data de lançamento de Sonic Forces no ocidente;

A SEGA anunciou nesta quinta-feira (31) a data de lançamento de Sonic Forces no ocidente. No nosso lado do globo, ele será lançado no dia 7 de novembro, alguns dias antes de sua chegada no mercado japonês.

A partir desta quinta, os fãs podem fazer a compra antecipada de uma edição bônus que está disponível apenas para os consoles. Ela vem com skins para os controles do PS4, Xbox One ou Switch, e 13 roupas in-game para colocar nos personagens, todas elas baseadas em outros jogos da SEGA e Atlus.

As roupas e acessórios recriam o visual de personagens de Jet Set Radio, PuyoPuyo, NiGHTS, Super Monkey Ball e, para a surpresa de muitos, Persona 5. Veja abaixo:

Sonic Forces será lançado no PS4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

LEIA MAIS SOBRE GAMES.

Max Payne – O melhor da Ação

Max Payne! Esse nome ecoa até hoje na cabeça de milhares de fãs. Hoje em dia já é considerado uma série, pois 3 jogos foram lançados – Max Payne 2 em 2003 e Max Payne 3 em 2012 (sim, um intervalo absurdo de 9 anos). Max Payne foi lançado em 2001 para PC, X-Box, PS2 e, posteriormente, relançado para IOS, Android e PS4. A produtora foi a gloriosa, e finlandesa, Remedy Entertainment e distribuído pela Rockstar – empresa está que assumiu por completo a produção dos jogos subsequentes.

O jogo virou um marco no mercado. Não apenas para o gênero ação mas para o mundo de games. Haja vista que foi um dos primeiros, se não o primeiro, a utilizar o efeito “bullet time”. Este efeito ficou muito famoso com a saga de filmes Matrix nas cenas em que Neo desvia das balas e a câmera focaliza nas mesmas e não no personagem. Somente por este efeito o game já estava fazendo uma revolução. Mas muito mais seria apresentado: história excelente, boas falas, gráficos de última linha (para a época), trilha sonora marcante, personagens carismáticos. Ou seja, o jogo foi uma obra prima.

Vamos à história: Max Payne é um policial que possuía uma vida feliz e, como ele mesmo descreve “o sonho americano”. Até que um certo dia, após o trabalho, ele encontra a mulher e sua filha (que ainda era um bebe) mortas em casa. Mas os autores do crime ainda estavam por lá, esta é a cena que o jogador passa a comandar o personagem. Após matar os 3 bandidos, Max se mostra desesperado e ao mesmo tempo em total busca por vingança.

O game inteiro conta a história de uma forma como se fosse uma HQ (história em quadrinhos). Isso faz com que o jogador fique ainda mais preso, já que a mistura de cenas rápidas, tiras em quadrinhos e o próprio jogo resulte em uma experiência totalmente envolvente e de altíssima qualidade.

Ao longo do jogo, seu melhor amigo é assassinado; Max passa de policial a procurado pela polícia; e o principal: descobre que o assassinato de sua família foi apenas o topo de uma cadeia imensa de eventos e fatos que giravam em torno de uma nova droga chamada V. Payne anda pelas mais diversas espeluncas e locais destruídos da cidade, e cabe a você ir “limpando” toda a sujeira.

No Brasil o jogo foi lançado totalmente em português, hoje isso é muito comum, mas na época era uma grande novidade. Diferente de muitos jogos atuais em que a dublagem é, no mínimo, questionável, a dublagem de Max Payne era divertida e bem-feita. As vozes foram escolhidas e produzidas de forma a deixar o jogo mais cômico, mas sem perder a seriedade. A voz de Max combina com o personagem temos de agradecer ao ator e dublador Mauro Castro.

                                                                    

Os jogos subsequentes tiveram grande qualidade, mas não a mesma que o primeiro. Apesar do terceiro game da série ter sido muito ovacionado e ter recebido um trabalho imenso de divulgação, isso se deve mais ao fato da grande espera dos fãs e da mídia especializada do que outra coisa. Impossível negar seu valor e importância, além de dar vida ao personagem novamente, mas não é algo tão impactante quanto foi o primeiro. Espero que a Rockstar lance um quarto jogo em breve e que seja mais parecido com suas origens.

                                         

 

Mesmo hoje em dia este jogo irá lhe surpreender. No mínimo você terá boas horas de grande diversão. Convido a todos a testarem o game, independentemente de plataforma, e colocarem nos comentários o que acharam.

Hydro Thunder – melhor série de corrida na água

Acredito que nem todos se lembram deste game que foi um verdadeiro clássico e divisor de águas em termos de corrida marítima, ou corrida com barcos e afins. Ao longo dos anos vários jogos de corrida na água foram lançados, mas a maioria consiste em corrida de jet-skis ou algo similar. Mas Hydro Thunder veio para mudar isso.

Lançado em 1999 para os consoles DC, N64, Playstation e para Arcade. Até hoje lembro da máquina de árcade deste fabuloso game. Era fantástica. E nada melhor que poder jogar em casa algo que goste tanto no árcade. A empresa Midway, empresa monstra há alguns anos fez um trabalho majestoso. Mas infelizmente nunca mais vimos tamanha qualidade em games de corrida aquática.


O game possuia, basicamente, corrida simples contra o computador; corrida contra outro jogador; e corrida de dois jogadores contra o computador e entre si.
Ainda havia a opção de treino e alguns mini desafios que eram usados para liberar os barcos.

Mas em que, de fato, consistia o game? Eram várias lanchas potentes e muito estilizadas, que corriam por cenários muito bem elaborados e, alguns, bem fantasiosos. Como qualquer outro jogo de corrida o principal objetivo era chegar em primeiro. Ao longo do trajeto havia turbos que faziam sua velocidade aumentar muito, além do fato de jogar os barcos adversários pelos ares, ao acertá-los.

No início só há opção de escolher um barco. Mas ao longo do tempo e que o jogador vai completando o game, outras lanchas são liberadas. Chegando ao ponto de diversos barcos absurdos, mas muito divertidos, serem liberados, tais como o Titanic e um pato de borracha gigante.

O que falar dos cenários. Muito divertidos. Essa é a melhor definição. Os cenários possuem várias características peculiares como vulcões, partes escuras, interatividade, partes de mexem e caminhos alternativos.

Os fãs dessa grande série tiveram que aguardar 11 anos até que houvesse uma continuação. Em 2010 foi lançado Hydro Thunder Hurricane para PC e X-Box 360. Os gráficos melhoraram muito e a jogabilidade manteve sua estrutura básica, porém melhorada. Realmente foi um presente fantástico ter este game de volta. Depois de 11 anos, jogar essa continuação fez os olhos ficarem marejados.
Infelizmente nessa época a Midway já havia falido e quem assumiu a produção foi a Vector Unity. Fizeram um bom trabalho, mas longe de podermos comparar com o primeiro.

Novamente só temos a agradecer a Midway por ter feito com que nossa infância e juventude tenha sido ainda mais feliz. Triste que empresas que tenham produzidos jogos tão bons, hoje em dia tenham falido ou sido vendidas e descaracterizadas, tais como SNK e Rare. Mas seus grandes feitos ficarão, para sempre, em nossos corações.

Mario Tennis – maior série de games sobre o esporte

Mario Tennis é mais uma das séries de esporte lançadas pela gloriosa Nintendo. Além de tênis, a Nintendo já produziu games sobre golfe (acho que pode deixar com o E no final, porque em português é assim), baseball, futebol, corrida de kart e outras. Mas, sem dúvidas, Mario Tennis foi a melhor delas, chegando ao nível de qualidade de séries como Mario Party.

Poucos sabem, mas o primeiro game da série não foi o Mario Tennis para N64. O primeiro foi o Mario’s Tennis para Virtual Boy (VBOY), que foi lançado em 1995, mas acabou falindo e foi descontinuado pela Nintendo, tudo isso em  um período de menos de 1 ano de lançamento. É uma pena, haja vista que o console possuía uma ideia muito boa que era proporcionar uma maior imersão do jogador com efeitos 3D e algo muito primitivo de realidade virtual. Como sempre, a Nintendo sendo pioneira no mundo dos games, mas desta vez não com a maestria que estamos acostumados. Os gráficos do jogo eram pífios, mas a ideia continua sendo revolucionaria, apesar de ter sido melhor introduzida pela indústria dos games somente nos últimos anos.

 

Apenas 5 anos depois teríamos o prazer de jogar o jogo que explodiu a série e a colocou no mapa da diversão dos gamers. Lançado para N64, Mario Tennis foi um marco para o console, para a Nintendo e para o que havia sobre o esporte em termos de games. Já existiam outras séries, inclusive com lendas do tênis como Guga, Andre Agassi, Pete Sampras, Michael Chang e outros, mas Mario Tennis proporcionou diversão sem igual com excelentes gráficos e agradável trilha sonora. Diversos cenários foram introduzidos, com todos os tipos de quadra existentes no mundo real. Era possível de se jogar de simples ou duplas. Havia diversos campeonatos e sagrando-se campeão, era possível ganhar itens ou personagens especiais.
Os gráficos eram de primeiríssima qualidade, com efeitos divertidos e dinâmicos. Muitas cores foram utilizadas, aproveitando ao máximo a capacidade do console.
A trilha sonora era divertida e os efeitos sonoros possuíam qualidade. Tudo havia um som bem colocado, o quicar da bolinha na quadra; a torcida alvoroçada; o som dos jogadores a cada raquetada; a comemoração dos mesmos; além dos sons nos menus e transições de telas.
A jogabilidade era a melhor até então para jogos de tênis. Nada daquela mecânica travada e que deixa o gamer nervoso sem entender como o personagem foi bater na bolinha muitos segundos depois que você apertou. Quando se apertava o botão para correr, ele realmente corria e chegava na bolinha. Se apertava para bater, ele batia na bolinha corretamente. A Nintendo se atentou para o fato de haver 3 variedades de golpes básicos no tênis: top-spin, slice e lob. E possibilitou realizar, também, saques com estes tipos de batidas.
Realmente uma obra prima!

 

Em 2004 foi lançado para GameCube, e posteriormente para Wii, a continuação Mario Power Tennis. O jogo seguia os moldes do anterior, mas estava com gráficos e jogabilidade melhor. Se atentaram para uma ou outra questão que podia ser melhorada e o fizeram. Praticamente foi o mesmo jogo de 64 mas com gráficos melhores e jogabilidade aperfeiçoada.

No ano seguinte, foi lançado Mario Tennis: Power Tour para GBA. Obviamente que a Nintendo não deixaria seu console portátil sem um game dessa magnifica série. Os gráficos surpreendem pelo número de cores e a vivacidade da imagem. Há um lado bem interessante neste game que não existia até então: ele possui um pouco de RPG na história. Ou seja, não é apenas ligar, escolher o personagem e ir para a quadra, você possui diálogos e locais para andar, cenários etc. O lado ruim é que acabaram focando muito nisso e o número de personagens para escolha é grande, porém a maioria é de personagens do jogo e não os famosos, como foi comum nos jogos anteriores.

Em 2012 foi lançado Mario Tennis Open, para o outro portátil da Nintendo 3DS. Os gráficos possuem grande qualidade, ainda mais se considerarmos que o console era portátil. Mas não teve grandes novidades, sem contar as possibilidades interessantes graças ao sistema do 3DS. Os personagens principais da Nintendo, para este tipo de jogo, voltaram a reinar sozinhos e o game foi mais um grande sucesso.

Em 2015 foi lançado o último jogo da série, até então, Mario Tennis: Ultra Smash para WiiU. Gráficos fantásticos, jogabilidade muito boa e aperfeiçoada. Jogadas sensacionais e já estava na hora da série receber essa atenção e um jogo para uma plataforma deste porte, já que o último jogo para um console assim foi em 2004, mais de 10 anos antes. Realmente, as cores e os sons chamam a atenção do jogador e despertam aquele sentimento e vontade de pegar uma raquete e sair batendo em tudo.

A Nintendo fez um ACE ao criar está série e a hora em que lançar um jogo novo para seu último console, Switch, teremos a sensação de ganhar uma partida por duplo 6-0.
Nintendo! Parabéns e obrigado!