CRÍTICA – Esquadrão Suicida: DC decepciona (mais uma vez) .

CRÍTICA – Esquadrão Suicida: DC decepciona (mais uma vez)

maxresdefault

CRÍTICA – Esquadrão Suicida: DC decepciona (mais uma vez)

Vamos lá. Me envolver nessa briguinha de fãs da DC x fãs da Marvel não é fácil. Não sou fã de um e nem de outro, diga-se de passagem. Não leio os quadrinhos de nenhum desses, estou aqui para escrever sobre os filmes apenas. Só pra deixar claro.

maxresdefault

Margot Robbie interpreta Arlequina em Suicide Squad

Esquadrão Suicida (2016) era uma grande promessa para 2016, principalmente pelo eletrizante trailer que foi lançado nas redes sociais em Janeiro de 2016. Confesso, também fiquei muito curiosa pra ver. Tentei duas vezes ir ao cinema assistí-lo na semana de estreia, mas sem sucesso, pois as salas já estavam todas cheias. Acredito que todo esse burburinho se deve ao marketing, que diga-se de passagem, também tem prós e contras.

Os prós: todo o material de divulgação parecia promissor. A montagem do trailer ao som de Bohemian Rhapsody do Queen, as coletivas com os atores e a divulgação nas redes sociais, tudo cooperou para que Esquadrão Suicida fosse sucesso de público, e é inegável que foi um ótimo blockbuster em 2016, quebrando recordes que eram de Guardiões da Galáxia (Marvel, 2014) e arrecadando mais de U$ 135 milhões até agora.

esquadrão-suicida-prieiro-trailerOFICIAL

Suicide Squad (2016)

Os contras: propaganda enganosa. Mais ou menos o que aconteceu com Batman vs Superman. O filme não tem NADA do que foi visto nos trailers, nas propagandas, na internet. É uma confusão só. Parece que tiraram algumas cenas e montaram um filme diferente. É bem estranho, pra se dizer o mínimo.

O filme tem uns cortes tão estranhos que parece que os editores saíram picotando algumas cenas para diminuir o tempo dele. Além disso, a DC parece ter escutado o público quando tentou inserir (de modo muito grotesco, por sinal) um tom mais leve e descontraído, adicionando piadas esquisitas entre uma cena e outra. Ficou extremamente forçado, na minha opinião. Acredito, sim, que a DC precisa aliviar o tom, mas não dessa forma.

A melhor coisa em Suicide Squad são Deadshot (Will Smith) e Arlequina (Margot Robbie). Não gosto do curinga de Jared Leto (que a propósito, mal aparece). A Waller também tem seus momentos, mas isso é mais por causa da atuação brilhante de Viola Davis do que qualquer outro motivo. E essa Enchantress? Na minha opinião, uma péssima antagonista. A forma como ela foi apresentada não me fez detestá-la (ou criar empatia), não me fez torcer para ela se dar mal, não me fez ter medo dela… Não me fez sequer me importar com ela o filme inteiro. E o mesmo vale para o Flag, que pelo visto devia ser um dos personagens principais.

willsmith_

Will Smith interpreta Deadshot em Suicide Squad

O maior problema de Batman vs Superman não foi o tom sombrio, mas sim, o roteiro fraquíssimo. Tanto que em Esquadrão Suicida o tom empregado foi mais divertido, mas sem um bom roteiro a história não tem força. E assim nasce mais um filme problemático da DC.

Mas tivemos coisas boas também. A trilha sonora é muito amor, a apresentação dos personagens foi caprichada e se você busca entretenimento, Esquadrão Suicida cumpre seu papel. Mas, infelizmente, não passa de mais um filme mediano cheio de problemas.

Leia Nossas Critícas

Batman Vs Superman | Decepção com o filme pode levar a redução de lançamentos da Warner Bros.

Batman Vs Superman | Decepção com o filme pode levar a redução de lançamentos da Warner Bros.

Batman Vs Superman | Decepção com o filme pode levar a redução de lançamentos da Warner

Batman Vs Superman | Decepção com o filme pode levar a redução de lançamentos da Warner

 

Com uma queda de 69,1 % na sua segunda semana em cartaz e a previsão de que não chegará ao total de US$ 1 bilhão, Batman Vs Superman – A Origem da Justiça representa um das últimas decepções da Warner Bros. Agora, fracassos como O Destino de Júpiter (US$ 47 milhões somados nos EUA para um  orçamento de US$ 176 milhões), Peter Pan (US$ 35 milhões arrecadados nos EUA para um orçamento de US$ 150 milhões) e No Coração do Mar (US$ 25 milhões nos EUA para um orçamento de US$ 100 milhões) e a falha em transformar o “encontro dos maiores heróis do planeta” em uma franquia tão lucrativa quando a do universo Marvel estaria levando a uma grande mudança nos outros planos do estúdio, afirma o Hollywood Reporter.

Com um orçamento na casa dos US$ 300 milhões (oficialmente US$ 250 milhões), BvS foi rejeitado pelos críticos e dividiu fãs, perdendo o boca a boca positivo necessário para a continuidade de uma boa bilheteria e a oportunidade de transformar um de seus produtos mais valiosos – os heróis da DC Comics – em franquias no nível de Star Wars (US$ 2,06 bilhão somados mundialmente), Jurassic World (US$ 1,67 bilhão somados mundialmente) e Vingadores (US$ 1,4 bilhão somados mundialmente para Era de Ultron). Com US$ 697 milhões acumulados, Batman Vs Superman não representa um fracasso como os enfrentados pela Warner. no ano passado, mas o filme certamente não alcançou o potencial almejado pelo estúdio.

Ainda assim, apesar do choque com as críticas negativas, não existem planos imediatos de uma mudança no time criativo da DC, liderado por Zack Snyder. Com filmes de heróis planejados até 2020, a tendência, explica uma fonte ao Hollywood Reporter, é que os diretores envolvidos façam uma autoavaliação baseada nos erros de BvS. O clima é de cautela. De acordo com executivos da indústria e agentes, a Warner Bros., conhecida por dar liberdade a cineastas e atores, estaria diminuindo o número de projetos para focar nas franquias como DC, LEGO e Harry Potter. Parceiros como Ben Affleck, Clint Eastwood, Christopher Nolan e Todd Phillips ainda teriam espaço, mas estaria mais difícil conseguir o sinal verde para tocar os projetos – Mad Max: Estrada da Fúria, por exemplo, poderia ter sido engavetado nesse contexto.

Oficialmente, porém, a Warner Bros. nega qualquer mundança de cultura. Segundo um representante, em 2016 serão lançados 18 filmes, com mais 19 longas planejados para 2017. Quantia que não foge tanto dos 26 filmes que chegaram aos cinemas com a marca em 2015. Ainda assim, espera-se que o estúdio reaja de alguma forma depois de 18 meses sem alcançar as próprias metas. Liga da Justiça, por exemplo, poderia se beneficiar com a intervenção mais ativa de um produtor (como Kevin Feige na Marvel), auxiliando no melhor planejamento do universo da DC,  já que Snyder vai continuar na direção. As apostas de 2016 agora estão com Esquadrão Suicida e Animais Fantásticos e Onde Habitam, que precisam combinar o investimento e liberdade recebidos durante a sua produção em um sucesso de público e crítica.

 

Leia mais sobre CINEMA.

Batman Vs Superman – Com $ 424 milhões no mundo, é a maior abertura da historia para um Filme de Quadrinhos

Batman Vs Superman – Com $ 424 milhões mundialmente, é a maior abertura da historia para um Filme de Quadrinhos;

BATMAN VS SUPERMAN - A ORIGEM DA JUSTIÇA

BATMAN VS SUPERMAN – A ORIGEM DA JUSTIÇA

Enquanto Batman Vs Superman: A origem da justiça não abriu tão bem como alguns filmes da Marvel  na América do Norte,  no mundo o filme arrecadou US $ 424 milhões em seu primeiro fim de semana , tornando-se a maior estréia globalmente para qualquer filme de quadrinhos na história.

À frente do filme estão apenas: Star Wars: O despertar da força , Jurassic World, e Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 para aberturas globais de todos os tempos. Batman Vs Superman vem em frente de Velozes e furiosos 7 e ambos os  filmes dos Vingadores , cada um dos quais arrecadaram entre $ 390 e $ 400 milhões em seus primeiros finas de semana.

Na América do Norte, o filme fica com sexto maior primeiro fim de semana de todos os tempos , atrás de: Star Wars: O despertar da força, Jurassic World, ambos os filmes dos  Vingadores e Homem de Ferro 3.

Números da America Do Norte

Números da America Do Norte

Leia mais sobre CINEMA.

Via: comicbook Read More…