Review: Nova série de TV – The Refugees (BBC e Atresmedia, 2015)


The Refugees

The Refugees é uma série desenvolvida pelo canal britânico BBC, que já trouxe para nós maravilhas como Doctor Who, a versão original de The Office e mais versões do que podemos contar dos romances de Jane Austen. A série estreou no dia 07 de Maio de 2015. O interessante de The Refugees é que ele foi criado conjuntamente pelo Reino Unido e pela Espanha (através da Atresmedia), e tem uma equipe toda de espanhóis na produção.

O enredo de The Refugees começa com um mote típico de ficção científica, embora a série avance mais no estilo drama. A história começa em um ponto do futuro, em que viagens temporais já são possíveis. Nesse futuro, um vírus começa a se espalhar pela Terra e torna-se uma verdadeira ameaça à raça humana. A situação fica tão problemática que a única opção para salvar a humanidade é relocar parte dela no passado, onde estarão a salvo do vírus. Porém, essa tarefa não é exatamente simples.

Em primeiro lugar, a viagem será somente de ida. E não há espaço para todos, então somente pessoas atendendo a certos requisitos poderão ser salvas: pessoas com boa saúde, sem antecedentes e menores de 65 anos. Para completar, quem for precisará se comprometer com determinadas regras – como, por exemplo, não procurar seus antepassados e não falar sobre o futuro.

Alex, o protagonista, é um desses Refugiados. Ele é enviado para o passado e passa a conviver com a família Cruz, que vive em uma pequena cidade rural ao norte da Espanha. Porém, ele está disposto a quebrar as regras determinadas para os refugiados, a fim de completar sua própria “missão”: salvar os Cruz, que seriam assassinados em poucos dias. Enquanto Alex revela o seu segredo como viajante do futuro, segredos da família Cruz – que não é tão pacata quanto parece – também são revelados.

Enquanto a família Cruz enfrenta um dilema particular, o mundo como um todo (dessa vez, o mundo do presente) também passa por uma crise. Com 3 milhões de “visitantes” inesperados, é simplesmente gente demais. O caos começa a surgir e a tensão entre a humanidade do futuro e do presente se torna o estopim de um conflito.

The Refugees

As cenas do trailer são muito impressionantes. Os Refugiados chegam ao mundo presente nus, e inundam as ruas. Na televisão, notícias sobre o evento relatam a indignação das pessoas com essa invasão. Ao fundo, uma citação da bíblia – “Eu estava com fome, e me destes de comer; eu estava com sede, e me destes de beber; eu era um estranho, e me destes um lugar para morar” – pode ser ouvida.

Um dos principais focos da série é o conflito de ter pessoas desconhecidas se impondo, de certa maneira, no seu lar. Até onde somos obrigados, como seres humanos, a abrir nossas portas (de casa, da cidade, do nosso mundo) aos outros? E tudo piora quando não sabemos nada sobre estes outros – afinal, uma das regras para a viagem temporal era exatamente que os escolhidos não poderiam contar nada sobre sua origem. É claro que o fato de eles estarem nus também não ajudou…

No geral, a primeira temporada de The Refugees foi bem desenvolvida. Com o apoio da BBC, a Espanha conseguiu criar um material de boa qualidade – o que seria difícil fazer internamente, com a crise econômica que afeta as produções de séries e filmes na Europa continental. O elenco conta com a presença de Natalia Tena, que já é conhecida do público geek por causa de seu papel como Osha em Game of Thrones. A temporada terá 8 episódios no total, terminando em meados de Julho de 2015.

Os primeiros dois episódios tiveram mais de 4 milhões de espectadores na Espanha. Infelizmente, logo em seguida a visibilidade da série caiu para menos de 2 milhões de espectadores. Mesmo assim, para quem gosta de mistério e uma dose de ficção científica, ou para os aficionados por séries obscuras que quase ninguém conhece no Brasil, está aí um prato cheio.

Previous Review: Nova série de TV – The Messengers (CW, 2015)
Next Review: Nova minissérie de TV – Jonathan Strange & Mr. Norrel (BBC, 2015)